Clique para versão em Inglês

 

 

1914 - Nasceu em Riga, Letônia, no dia 4 de abril. ( Nome original: Harijs Tao Sreinbrecher)
Em outubro, seus pais retornaram com seus filhos para o rio Wolga perto de Saratow, onde seu pai tem uma criação de cavalos, e lá ele passou seus primeiros anos de vida.

1921 - Retorno a Riga, cidade natal de sua mãe. Após a desapropriação das propriedades dos pais pelos bolchevistas, ele cursou o ensino básico e médio nesta cidade.

1928/1930 – Formação como Técnico de Armas (a pedido de seu pai, para que ele não tivesse de fazer serviço militar).

1930/1932 – Estudo e diploma em arquitetura com Professor Dr. Tode em Riga. Em paralelo ele faz seus primeiros estudos de Arte e Composição com Roman Sutta (Escola de Petersburgo, colega de Pablo Picasso).

1933 – Primeira bolsa de estudos na Escola de Artes em Stuttgart (com Professor Loercher, Heim, entre outros).
Viagens de estudos para Milano, Veneza, Florença, Roma, Nápoles e Palermo na Itália.

1934
 - Aprende a moldar com gesso e outros materiais, como estagiário na fábrica de porcelana Jessen em Riga.

1934/1935
 – Recebe uma bolsa de estudos completa como melhor estudante da Academia de Belas Artes em Munique/Alemanha (educação, materiais, auxílio moradia bem como um valor mensal em dinheiro). Lá ele estuda a arte da escultura e a fundição em bronze com o Professor Bernhard Bleecker, anatomia com o Professor Molliere. Simultaneamente ele estuda filosofia e psicologia.

1936/1937
 – Bolsa de estudos completa na Faculdade de Artes Aplicadas de Berlim. Estudo de escultura em pedra e madeira com os Professores Kranz e Hitzberger, bem como o estudo da arte de pintar com o Professor Welte.
Visita de seis semanas à Exposição Mundial de Paris, ocasião na qual ele foi até o atelier de Pablo Picasso em Montmartre, onde o conheceu.

1938
 - Participação em uma exposição coletiva da comunidade artística em Stuttgart. Retorno para Berlim, onde ele continua seus estudos e escreve o seu livro filosófico "Sein" (=Ser), o qual ele deixou imprimir com seu próprio dinheiro (sem mencionar o autor, pois em sua opinião o livro seria contra o regime politico daquele tempo).

1939/1940
 – Recebeu nova bolsa de estudos na Academia de Belas Artes de Stuttgart. Torna-se Aluno-Mestre do Professor Fritz von Graevenitz. Recebe seu próprio atelier.

1941
 – É formado repórter de filmes sobre a guerra na Companhia Báltic-Filmes. Depois disto filma em várias frentes de batalha até 1943. É seriamente ferido e chamado de volta para Berlim. Lá ele trabalha na Marsfilm com Tummel Tummelovic (Companhia Báltic-Film) como cortador e revisor de filmes até 1945.

1945/1951
 – Inicia seu próprio atelier “Werkstatt Widder” em Schwäbisch Gmünd na Alemanha. Escultura e fundição em bronze.
Ele aparece no famoso livro "600 Jahre Gmünder Goldschmiede-Kunst" (600 anos de Arte em Gmünd) do Professor Walter Klein, com duas páginas de fotos de suas obras e meia página de texto.
Nova revisão e edição de seu livro filosófico “Sein”, desta vez com autorização do responsável pela Cultura das Forças Aliadas (Remsdruckerei Schwäbisch Gmünd) e certificações do: Pastor Wehm (Holanda), Hermann Hesse, Ernst Wiechert e o Leitor da Editora Reklams-Universal, Alfred Guenther (autor do livro “Os sete anos desconhecidos de Shakespeare”).
Publicações em: Standpunkt, Welt der Frau, Ansaetze, Akademische Jugend, Radius, Stuttgarter Zeitung, Stuttgarter Nachrichten, Ulmer Nachrichten.
1º edição do seu livro "Sein I", Poesias em prosa sobre a vida e a arte (Remsdruck, Schwäbisch Gmünd).
"Sein I - Filosofia da Arte e da Vida“, Editora Karl Mayer, Stuttgart.
"Plaketten und Medaillen" (Estúdio Aries-Widder), Remsdruckerei.
Edições particulares: "Der Drachenteppich" (Tapeçaria dos Dragões) - conto; “Die Eisblume” (A flor de gelo) – conto:  “Arcanum 9” – conto; “Von Echnaton bis Leonardo da Vinci” (De Echnaton até Leonardo da Vinci) – peça de teatro; “Die Ungestalten” (Os amorfos) – peça de teatro e “Gedichte” (Poesias).

1947
 – Exposições: Coletiva "Artistas da Letônia" em Esslingen; Coletiva "Major Leppesquere" em Stuttgart, com críticas na Frankfurter Rundschau (Beutel e outros).
Exposição individual em Schwäbisch Gmünd.

1948
 – Exposição coletiva “Artistas de Stuttgart” na Casa de Artes Schaller.
Ele cria o boneco flexível “Jopo”, (com um pequeno livro para crianças, que mostra a criação de Jopo). Ele projeta ainda outras figuras, desenvolve a forma de fundição junto com o sistema de fundição, entrega esta invenção para ser fabricada ao seu sogro naquela época, Friedrich Schleich, o qual, sob pretexto de patenteá-lo no nome de seu genro, patenteia esta invenção sob seu próprio nome. Em consequência ocorre um rompimento e Tao Sigulda transfere os direitos da licença para seus filhos, para sua educação, estudos e mais tarde casamentos. Ele deixa a Alemanha.

1951
 – Exposição coletiva em Hagenbund e no “Pallais Harrach” - Viena/Áustria.

1952
 - Arquitetura e arquitetura interna, decorações – Graz / Áustria.

1953
 - Atelier próprio am Graben, Viena / Áustria, executa encomendas de diversos tipos para colecionadores, particulares e construtoras. Faz parte do grupo de artista que se encontra no “Strohkoffer” am Graben, Viena (com Fuchs, Hundertwasser entre muitos outros).
Desenha ilustrações para o livro sobre a “Atlantis afundada” para um erudito particular em Viena (ainda existem reproduções fotográficas).
Projeta uma cidade-torre do futuro, mas não a apresenta ao público por recomendação de um advogado de patente, que lhe disse que, se tudo não estivesse patenteado, certamente o projeto seria roubado. A cidade foi calculada para ter uma altura de 500 a 1000 metros. Ainda existem alguns desenhos. O arquiteto do governo de Hessen daquela época recomendou ir para o Brasil e oferecer o projeto para presidente daquela época, Juscelino Kubitschek. Mas quando o casal chegou ao Brasil o presidente já era outro.

1957 - Retorno à Alemanha. Encomendas de diversos tipos, cenários para teatro, esculturas, joias e pinturas. Ele desenha 750 ilustrações da Bíblia para o Padre Daschner, Stella-Maris Stuttgart (se une a sua segunda esposa – Tama).

1959
 - Exposição individual na Galeria Senatore em Stuttgart e na Casa das Artes em Ulm (diversas críticas e publicações).

1960
 - Exposição individual na Galeria Del Ponte em Nápoles, Itália (cujas obras foram adquiridas todas pelo colecionador de arte napolitano Angelo Blasi). Tao e sua esposa Tama viajam de navio para o Brasil com intenção de seguirem, via Argentina, Chile e EUA para o Canadá a fim de visitar sua família que emigrou para lá. Ainda no navio ele recebe encomendas de colecionadores de São Paulo, motivo pelo qual o casal decide ficar por lá.

1961
 – Exposição coletiva na Galeria Prestes Maia em São Paulo.

1962/1963
 – Funda, com sua esposa Tama, o “Pequeno Teatro Experimental” na Pró-Arte em São Paulo.
Ensino para a nova geração, encenações, cenários. Obras de arte para colecionadores, joias em ouro e prata (produções individuais).

1964/1966
 - Cenários para o teatro alemão: “Berta Slemer”, Instituto Goethe, Pró-Arte, teatro alemão “Deutsche Theatergruppe” no teatro João Caetano e na Aliança Francesa em São Paulo.
Obras de arte sob encomenda.

1967
 – Participa com 5 (cinco) pinturas a óleo na "Saginaw Fair" em Detroit-Michigan, EUA e recebe o 1º prêmio, o 2º prêmio, o 6º prêmio bem como o "Great Seal of Michigan".

1968/1969
 - Atelier e exposição permanente na Alameda Fernão Cardim em São Paulo. Exposição individual na “Vila Rosa” em São Paulo.

1971
 – Ganha a encomenda para a decoração artística da igreja “Paroquia do Preciosíssimo Sangue de Cristo” no Rio de Janeiro (escolha internacional do Vaticano: Manzu/Itália – Chagall/França – Salvador Dali/Espanha – Tao Sigulda/Brasil). Cria a Via Sacra com um paralelo de hoje em dia, bem com um paralelo que mostra somente sentimentos. A figura de Cristo como vencedor, após a ressureição – suspenso acima do altar ( altura de 5,80 m), a figura da Madonna (como símbolo uma coluna da igreja, 3,80 m de altura), sobre seu braço envolvido em pano flutua o Menino Jesus, já em forma de cruz, indicando o caminho do futuro. O altar principal e o altar da capela bem como ambos os tabernáculos, a pia de batismo, as cruzes de páscoa, a “luz eterna” – a composição de todas as janelas coloridas que foram fundidas em vidro antigo, etc.

1973
 – Exposição coletiva em Bremen, Alemanha: "Quatro Artistas do Brasil".

1974
 - Expo Teuto - Brasileira no Museu de Arte de São Paulo no Ibirapuera.

1975 – Exposição individual no salão (Galeria) da “Comgás” em São Paulo, onde ele apresenta pela primeira vez a nova técnica, desenvolvida por ele, a "alugravura" (em placas de alumínio gravadas com agulhas frias e escovas de aço, desenhos surrealistas e abstratos, que em parte ainda tem adornos de figuras em cobre e latão).
Tao Sigulda se torna brasileiro com seu nome artístico, por sugestão da repartição pertinente, uma vez que o nome Steinbrecher é muito complicado de pronunciar.
Nos anos entre 1968 e 1987 ele cria dezessete jogos de xadrez históricos, cada figura é trabalhada individualmente, eles representam as batalhas dos diversos séculos. Um jogo legendário “Atlantis contra os invasores desconhecidos” e mais dois jogos descomplicados. Dos últimos dois moldes puderam ser confeccionados (o que não foi possível nos jogos anteriores por causa da complexidade de cada figura) e destes foram fundidos cinco jogos de cada. Todas as figuras foram fundidas nos moldes perdidos em bronze e se encontram nas mãos de colecionadores de arte (Europa e Américas).

1976 – Exposição individual de esculturas, alugravuras e pinturas na Galeria de Arte do Iate Clube do Rio de Janeiro.
Executa a encomenda do busto de Johann Wolfgang von Goethe, modelado e fundido em bronze, para o parque da Biblioteca da cidade de São Paulo.
Exposição individual na Galeria Bandeirantes em São Paulo.

1977 – Exposição individual durante o Congresso do Rotary Clube em Águas de Lindóia, S.P.
Doa peças para o leilão de arte dos Cavaleiros da Cruz de Malta em São Paulo (consegue os preços mais altos).
Exposição individual durante o Congresso de Médicos em Goiânia, Goiás.
Exposição individual no saguão da Prefeitura de Campo Limpo Paulista, S.P.

1978
 – Exposição individual no Centro Cultural Bandeirantes em Jundiaí, S.P.

1979 – Exposição individual na galeria do Iate Clube do Rio de Janeiro.
Exposição individual no Centro Cultural Skandia em Bogotá, Colômbia.
Convidado de honra da exposição “7º Encontro das Artes do EPSG Antenor Soares Gandra” em Jundiaí, S.P.

1980
 – Exposição no saguão da Prefeitura Municipal de Campo Limpo Paulista, S.P.

1981
 – Exposição individual no Centro de Cultura e Eventos em Campinas, S.P.

1982/1984 – Construção e montagem do seu atelier / exposição em sua propriedade em Figueira Branca, Campo Limpo Paulista, S.P.

1985/2001
- Construção de seu próprio Centro Cultural em sua propriedade em Figueira Branca, Jarinu/Campo Limpo Paulista para, além de artista conhecidos e internacionais, promover novos talentos. A partir desta data ele organiza, junto com sua esposa Tama, duas exposições coletivas por ano, sendo que na abertura destas exposições, no palco ao ar livre de seu Centro Cultural, acontecem apresentações de musica, canto, dança, teatro e outras. Ele mesmo participa destas exposições com novos trabalhos.

1986 – “III Feira dos Municípios” no Parque Anhembi em São Paulo.

1987
 – Exposição coletiva no Museu de Arte Contemporânea em Americana, S.P.

1988
 
– Exposição coletiva no Museu Histórico em Jundiaí, S.P.

1989
– Exposição individual no Museu Histórico em Jundiaí, S.P.

1992
 – Exposição coletiva “Três artistas” no Centro Cultural Mislata em Valencia, Espanha. "I Mostra de Arte FIEO" em Osasco, S.P.

1994
 - Convidado de honra na Casa das Américas em Havana, Cuba, na I Bienal de Artes Plásticas em Valinhos, S.P. e na Jarinu-Artes V em Jarinu, S.P.

1995 - Convidado de honra na exposição coletiva "Arte do Momento" em Havana, Cuba, Morelia/Michucan no México e Jarinu Artes VI.

1996 - Convidado de honra na exposição coletiva "Arte do Momento" em Valinhos, S.P., em Blumenau, Santa Catarina e Jarinu-Artes VII.
Exposição individual no Grêmio Recreativo C.P. em Jundiaí, S.P., promoção do Espaço Cultural Literarte. Exposição comemorativa na reinauguração do teatro Polytheama em Jundiaí, S.P.

1997 -  Exposição comemorativa no lançamento do Anuário Jundiaiense de Artes Plásticas – 97 no Grêmio Recreativo C.P. em Jundiaí, S.P. – Mapa Cultural Paulista em Piracicaba, S.P. Jarinu-Artes VIII, Pão e Poesia V no Parque Municipal Comendador Antonio Carbonari em Jundiaí, S.P. Leilão caritativo de arte para o Hospital de Câncer Infantil “Grendac” em Jundiaí, S.P. Apresentação do catálogo da exposição comemorativa da reinauguração do teatro Polytheama em Jundiaí, S.P.
Exposição de primavera no saguão da Prefeitura de Campo Limpo Paulista, S.P.

1998 – Exposição no gabinete do prefeito de Campo Limpo Paulista, S.P. Exposição na Semana de Aniversário de Jarinu, S.P. Exposição coletiva no lançamento do Anuário Jundiaiense de Artes Plásticas – 98 no Grêmio C.P. em Jundiaí, S.P. Exposição comemorativa no lançamento do anuário “Paletas 98” (Ed. Markovics) na 15ª. Bienal do Livro (Expo Center Norte e Galeria Marli Vilas Boas em São Paulo). Convidado de honra na exposição comemorativa “Mulheres em Sol Maior V” no Teatro Paulo Autran, S.P. (onde sua esposa Tama e uma das homenageadas)
Convidado de honra da exposição “Fragmentos do Cosmos” em Thaba Americana, S.P.
XXVI exposição coletiva de arte contemporânea no Centro Cultural Tao Sigulda (desde a inauguração em 7/12/1985 participou de todas as exposições).
Participação no "1º Simpósio Internacional de Esculturas Monumentais em Aço Inox” que foi realizado pela cidade de São Caetano do Sul, S.P. e onde Tao Sigulda criou o monumento em aço inox “Bandeirante 2000” de 8 (oito) metros de altura.
Exposição “Primavera na Prefeitura” em Campo Limpo Paulista, S.P.
XXVII Exposição no Centro Cultural Tao Sigulda.

1999 – Convidado de honra no “Jarinu-Artes IX”.
XXVIII Exposição coletiva de Arte no Centro Cultural Tao Sigulda.
“Arte na Prefeitura” em Campo Limpo Paulista, S.P.
Exposição coletiva no lançamento do Anuário de Belas Artes 99 em Jundiaí, S.P. (Grêmio C.P.).
Exposição coletiva em Blumenau, Santa Catarina
XXIX Exposição coletiva no Centro Cultural Tao Sigulda em Campo Limpo Paulista, S.P.
Exposição coletiva de arte na inauguração do Complexo Cultural Argos “Sala Cecília Meireles” em Jundiaí, S.P.

2000/2005
 – participa de todas as exposições coletivas de arte no Centro Cultural Tao Sigulda em Jarinu/Campo Limpo Paulista, S.P.

2002
– Lançamento da terceira edição de sua obra filosófica “Sein” (Ser) na língua alemã (BR.P. São Paulo).

2003
 - Lançamento do livro filosófico "Ser", de autoria de Tao Sigulda, em português, tradução feita por Walter Erich Maas, São Paulo (Literarte Livros e Artes Ltda.).

2004
– Por ocasião do aniversário de 90 anos de Tao Sigulda foram apresentados os seguintes livros de arte: “Educação e Projetos – Tao Sigulda para Crianças e Educadores” de Margaret Brandini Park (Unicamp) e Suely Aparecida Iorio (pedagoga) e
“Tao Sigulda – A Arte é a Caligrafia da Alma”, composto com material original do artista, por Heloiza de Aquino Azevedo: ambos os livros sob encomenda da Prefeitura de Jarinu, S.P.,(da diretora para Cultura e Educação, Ligia Claret Lorencini Wild.)
Outras publicações: Brasil Art Collection; Art Trade Internacional; Artes Plásticas Brazil; Anuário das Artes I, II e III; Enciclopédia de Paula I, II e III; Staden Jahrbuch; Deutschsprachige Vereinigungen Brasiliens: Artes Plásticas Portugal; Panorama das Artes Plásticas Luso-Brasileiras.

Os trabalhos de Tao Sigulda se encontram com colecionadores de arte particulares, museus, prédios públicos e galerias na Alemanha, Austrália, Áustria; África, Bélgica, Brasil, Canadá, Colômbia, EUA, França, Inglaterra, Itália, Letônia, Portugal, Trinidad, Suíça e Rússia.
Um colecionador dos EUA (York, Pensilvânia) comprou no passar dos anos 86 obras de Tao Sigulda.
Obras públicas: toda a decoração artística da igreja “Paroquia do Preciosíssimo Sangue de Cristo” no Rio de Janeiro:
Uma grande escultura na Embaixada da Hungria em Brasília;
O busto de Goethe em São Paulo (agora no Colégio Porto Seguro III – Instituto Martius Staden, São Paulo);
O busto de Francesco de Luccia, São Paulo;
O busto de Erich Markus em Araguari, Minas Gerais;
O busto do Conde Alexandre Siciliano em Jundiaí, São Paulo;
O busto do fundador da cidade de Osasco, Antonio Agu;
O monumento “Trabalho e Progresso” em frente à Prefeitura de Campo Limpo Paulista, S.P. (8 m de altura);
O monumento “Sinfonia em Aço” (5,80 m de altura) em frente ao prédio da administração da Thyssen-Krupp em Campo Limpo Paulista, S.P.;
O monumento “Bandeirante 2000” em São Caetano do Sul, S.P.;
bem como em vários prédios públicos em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Stuttgart, Viena entre outros.

Em 1998 Tao Sigulda se tornou cidadão honorário da cidade de Campo Limpo Paulista, bem como “parceiro cultural” do Estado de São Paulo.

2005 – com 91 anos ele ainda realiza um curso de escultura com grande sucesso, e com estudantes de várias cidades do Estado de São Paulo.
Em 9/10/2005 se apresentou, com grande sucesso, no palco ao ar livre um grupo de dança, premiado internacionalmente, da cidade de Sigulda (perto de Riga/Letônia).
Ele ainda conseguiu terminar duas figuras femininas de tamanho natural.
Várias pinturas permanecem inacabadas.

Dois meses antes de seu 92° aniversário ele ainda disse para sua esposa Tama: “Se eu quiser fazer tudo que imagino, preciso viver mais cem anos”. Poucos dias depois ele quebrou o quadril em uma queda, foi operado com sucesso e morreu no dia 10 de fevereiro de 2006 de falência dos rins. A sua despedida foi feita de forma impressionante: jornais, rádios, televisão, muitos amigos e admiradores lhe prestaram as últimas homenagens. Em suas obras ele permanecerá imortal.

Desde 2006 Tama Sigulda, sua viúva, já organizou e realizou onze exposições coletivas de arte contemporânea, com apresentações artísticas no palco ao ar livre em todas as vernissages. Música, dança, canto de corais, folclore e teatro. De acordo com a vontade de Tao Sigulda ela continua com o seu trabalho, e vive e luta para que o seu maior desejo, que é transformar o Centro Cultural Tao Sigulda em uma fundação, seja realizado e desta forma continue a lançar novos talentos de todo o pais e trazer a arte para o interior de Estado de São Paulo. Ela espera e deseja de todo coração que isto – com ajuda de patrocinadores-doadores, da indústria ou de associações culturais – aconteça. Ela já está preparando a 52ª. Exposição Coletiva de Artes Plásticas para Novembro de 2011.

O Centro Cultural Tao Sigulda se encontra a 60 km da metrópole São Paulo, na fronteira dos municípios de Campo Limpo Paulista e Jarinu, uma região visitada e amada por turistas de todo o mundo.


início da página